Em(Des)Confinamento…

Desconfinar o nosso coração

A Pandemia que estamos a viver apanhou-nos a todos desprevenidos! Ficamos incrédulos, perdidos, angustiados, depressivos… E a verdade é que, não podendo estar juntos, para evitar mais contágios, a nossa vida ficou toda ao contrário; para já não falar dos que ficaram mesmo doentes (talvez com sequelas que perdurem no tempo), em maiores dificuldades económicas ou sofreram com a partida de algum dos seus entes queridos!...

A rubrica “Como os ramos…”, do nosso QuererCrer, também parou no tempo, como que a viver este confinamento a que nos vemos obrigados. Mas, como diz S. Paulo «a palavra de Deus não pode ser acorrentada» (2 Tim 2, 9). Por isso, é nosso dever desconfinar a Palavra de Deus, vivendo o mesmo desafio de S. Paulo: «Ai de mim se não anunciar o Evangelho!» (1 Cor 9, 16).

Assim, e ainda que haja mil e uma propostas no mundo digital para vivermos o Domingo, mesmo estando confinados em casa, queremos dar o nosso contributo para que o Evangelho de cada Domingo seja objeto da nossa reflexão pessoal e familiar, porque a Igreja somos todos, e mesmo no período em que não haja celebrações públicas, é nosso dever continuar a ser Igreja, formando comunidade e alimentando-nos da Palavra de Deus.

Se é verdade que, para cuidarmos de nós e dos outros, devemos permanecer em casa, só saindo quando é estritamente necessário, vivendo assim o confinamento que esta Pandemia nos impõe, é igualmente verdade que os nossos corações não devem confinar. E a Palavra de Deus ajuda-nos a encontrar caminhos para abrirmos o nosso coração aos outros, nesta certeza de que somos “todos família, todos irmãos”.

Que Jesus nos ajude, cada domingo, a desconfinar o nosso coração, para O seguirmos com maior autenticidade, implicando a nossa vida na construção de um mundo mais fraterno e melhor para todos: assim, também nos tornaremos em testemunhas do Seu Evangelho!

not%20desc_edited.jpg