“PRESÉPIO, LUGAR de ENCONTRO para TODOS!”

As ruas já se encontram iluminadas para a quadra natalícia que se avizinha. Com um pouco de sorte, no meio de tantas luzes, árvores, bolas coloridas e pais natais… aparece também algum Presépio, como que a fazer recordar-nos o verdadeiro sentido do Natal, tantas vezes esquecido e por muitos nunca recordado!

 

E tu, já construíste o Presépio na tua casa?

 

Este ano a nossa Diocese propõe-nos, a partir do Advento, que o Presépio seja apreciado, contemplado, rezado…, por todos. Temos tanto a aprender com o Presépio! Um Deus que vem ao nosso encontro na simplicidade e humildade de uma criança, e para Quem não há lugar! Dois jovens, Maria e José, que reformulam os seus projetos para que se cumpra neles a vontade de Deus! Uma notícia grandiosa como nenhuma outra que é anunciada a uns humildes pastores! Uns magos que vêm de longe só para conhecerem um novo Rei que acaba de nascer! E tudo acontece na pequena cidade de Belém, que significa «casa do pão»: Jesus nasce como pão para nós; vem à nossa vida para nos dar a Sua Vida; vem ao nosso mundo para nos trazer o Seu Amor!

 

Agora, sente-te convocado por Jesus, por este Deus que vem ao teu encontro e te acaricia, para fomentares o Encontro à volta do Presépio na tua própria casa, com a tua família. Porque não, criar o espaço do Encontro junto ao Presépio, onde todos se juntam para rezar, partilhar os sucessos e fracassos do dia, estreitar os laços familiares de comunhão…?

 

Aproveitando esta época, onde todas as pessoas, mesmo aquelas que se dizem não crentes, se sentem mais solidárias, mais predispostas à proximidade com os que lhes são queridos, mais desejosas do aconchego humano…, tem a coragem de promover a arte do saber viver juntos na simplicidade, na benevolência, na fraternidade, educando para a cultura do respeito e do encontro, única capaz de construir um futuro à altura do ideal do ser humano. Que o Presépio seja, verdadeiramente, oportunidade para fomentar o Encontro com Todos!

 

«E, quando eles ali se encontravam, completaram-se os dias de ela dar à luz e teve o seu filho primogénito, que envolveu em panos e recostou numa manjedoura, por não haver lugar para eles na hospedaria» (Lc 2, 6-7).

 

 

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload