top of page
  • Querer Crer

Voluntários no Banco Alimentar contra a fome

No último fim de semana de novembro, os jovens dos grupos Livres como Jesus (7º ano), Chamados por Jesus (8º ano) e Enviados por Jesus (9º ano) estiveram no supermercado Pingo Doce, de Santa Maria da Feira, a colaborar com a campanha nacional de recolha de produtos alimentares do Banco Alimentar contra a fome. Aqui, em Santa Maria da Feira, muitos produtos são direcionados para a Associação Rosto Solidário, possibilitando desta forma a ajuda de várias famílias do nosso Concelho.


Eis alguns testemunhos:

Foi um momento bom, de partilha, alegria e até de certo ensinamento para os jovens que participaram. Estavam todos muito entusiasmados e todos queriam ajudar. Será um momento a repetir quando houver oportunidade. Um muito obrigado a todos que estiveram presentes e tornaram este momento único e especial (catequistas do Grupo Livres como Jesus).

Algumas catequistas do Grupo Chamados por Jesus, perguntaram na catequese, na semana seguinte, o que tinham achado da experiência e como se sentiram naquele papel. A Sara partilhou que um colega da escola a viu e lhe perguntou quanto ganhava por estar ali. A resposta parece óbvia, não é? Eis mais alguns testemunhos dos nossos jovens que nos dão muita esperança e nos mostram que “A gente não vai parar”:

“Voluntária por amor e não por dinheiro! Gostei bastante” (Sara).

“Foi uma experiência da qual gostei muito. Sinto-me feliz ao saber que posso ajudar os outros de certa forma. Fiquei muito satisfeita e grata ao ver tudo aquilo que recolhemos e ao pensar a quantidade de famílias que poderão ter uma boa refeição, preencheu o meu dia. Gostei também de comunicar com as pessoas, mesmo com aquelas que não contribuíram. Assim, não só ajudo os outros como me ajudo a mim, conseguindo sentir-me bem com a minha consciência ao saber que fiz uma boa ação” (Leonor).

“Eu gostei bastante do Banco Alimentar, achei um gesto carinhoso. Gostava de fazer mais coisas deste género, porque me sinto bem a ajudar os mais necessitados. Fazemos com coração e não pelo dinheiro” (Sofia).

“Penso que com este projeto se pode ajudar várias famílias que não possuem condições para adquirir alimentos” (Afonso).

“Gostei bastante de fazer voluntariado; só não gostei quando as pessoas nos mentiam a dizer que não iam às compras e depois iam.” (Índia).



bottom of page