Como ramos...


Como a nossa Diocese do Porto nos propõe um caminho para os próximos três anos, decidimos dar um outro nome à habitual rubrica “Nos trilhos do Mestre”. Assim, nasce o “Como os ramos…” na videira!

Queremos viver a nossa fé a sério, sabendo que, para isso, devemos permanecer unidos a Jesus, a verdadeira vide, da qual somos chamados a ser os ramos, bem podados, para produzir muitos e bons frutos!

Que significado tem Jesus na tua vida, nas tuas opções, nos teus comportamentos…? É nele que buscas a referência fundamental para a tua vida? Não esqueças que, pelo Batismo, fomos enxertados em Cristo, de modo que a nossa vida só se torna feliz e plena quando comungamos da Sua própria Vida.

Assim, este primeiro ano do triénio, será especialmente dedicado ao Batismo. É aí que tudo se inicia, mas é um caminho que dura a vida inteira! O Pai é o agricultor que cuida desta videira e dos ramos. De facto, no Batismo, todos nos tornamos filhos de Deus!

Vamos deixar, então, que o Pai nos vá podando através da Palavra semanal do Evangelho, para que possamos dar muitos e bons frutos e, assim, nos sintamos felizes e realizados na nossa vida e na missão que Ele nos confia, plenamente conscientes de que somos como os ramos na videira!