Como os ramos

II Domingo Advento

Continuando a nossa caminhada até Belém, onde Todos (aqui) nascemos, encontramo-nos com a figura de Maria, na sua Festa da Imaculada Conceição, que este ano coincide com o Segundo Domingo do Advento. Tempo propício para pensarmos que, como Maria, também nós, pelo Batismo, nos tornamos templos do Espírito Santo, digna morada de Deus. Assim, somos verdadeiramente habitados por Deus!

Nesta Solenidade da Imaculada Conceição, podemos contemplar como Deus prepara e encontra em Maria uma digna morada para o Seu Filho. E eu, estarei disponível para abrir o meu coração, para que Deus possa fazer nele a Sua morada? No nosso Batismo foi feita uma oração para que, pela Graça de Deus, o mal não tivesse em nós a última palavra; fomos ungidos com o óleo da fortaleza, para sairmos vitoriosos na luta quotidiana contra o mal. Tenho deixado que a Palavra de Deus continue a transformar a minha vida, guiando-me pelos caminhos do Amor e da Luz? Jesus vem hoje ao teu encontro, como O acolhes? Olha para o exemplo de Maria, uma jovem de Nazaré, no Evangelho desta semana (Lc 1, 26-38):

Naquele tempo,

o Anjo Gabriel foi enviado por Deus

a uma cidade da Galileia chamada Nazaré,

a uma Virgem desposada com um homem chamado José.

O nome da Virgem era Maria.

Tendo entrado onde ela estava, disse o Anjo:

«Ave, cheia de graça, o Senhor está contigo».

Ela ficou perturbada com estas palavras

e pensava que saudação seria aquela.

Disse-lhe o Anjo:

«Não temas, Maria,

porque encontraste graça diante de Deus.

Conceberás e darás à luz um Filho,

a quem porás o nome de Jesus.

Ele será grande e chamar-Se-á Filho do Altíssimo.

O Senhor Deus Lhe dará o trono de seu pai David;

reinará eternamente sobre a casa de Jacob

e o seu reinado não terá fim».

Maria disse ao Anjo:

«Como será isto, se eu não conheço homem?».

O Anjo respondeu-lhe:

«O Espírito Santo virá sobre ti

e a força do Altíssimo te cobrirá com a sua sombra.

Por isso o Santo que vai nascer será chamado Filho de Deus.

E a tua parenta Isabel concebeu também um filho na sua velhice

e este é o sexto mês daquela a quem chamavam estéril;

porque a Deus nada é impossível».

Maria disse então:

«Eis a escrava do Senhor;

faça-se em mim segundo a tua palavra».

Hoje mesmo li esta frase de D. Antonino Dias, bispo de Portalegre-Castelo Branco, que me inquietou e fez refletir: “Se misturarmos a nossa vida com a vida de Jesus, crescemos sempre. Aliás, esse é um dos grandes desafios do Advento. Muitas vezes, talvez procuremos Jesus apenas para que esta ou aquela situação fique resolvida. Jesus, porém, procura-nos, vem ao nosso encontro para permanecer sempre connosco”. Deixo que a minha vida se misture com a de Jesus? No meu dia-a-dia é a Vida de Jesus que Se manifesta nos meus gestos e atitudes? Maria deixou que Deus tomasse conta por completo da sua vida! Com a sua ajuda, apenas três pontos para a nossa reflexão:

  • Como Maria, consigo escutar os apelos que Deus me dirige? Estou atento à Sua voz, ao Seu Projeto, à Missão que Ele tem para mim? Paro para rezar, para rezar com a minha vida e as minhas circunstâncias?

  • Maria confia em Deus de “olhos fechados”! Serei capaz de confiar sempre em Deus? Até que ponto posso dizer que a minha fé é autêntica?

  • O “sim” de Maria aos desafios de Deus exige o abandono de todos os seus sonhos e projetos pessoais. Serei capaz de largar as minhas ideias e esquemas para ser completamente fiel ao Senhor? Ou por outras palavras, terei coragem para destronar o EU do meu coração e, assim, criar espaço para que Deus faça aí a Sua morada?

Para que o Natal aconteça é necessário ter o coração em paz, limpo e arrumado, para aí fazer nascer Deus e todos aqueles que Ele ama. Assim, este tempo deverá ser um tempo de proximidade, de encontro, de reconciliação… Então,para perdoar, aprende a ver os outros com os olhos de Deus!

  • Facebook