top of page

Com Alegria… ama a todos!

VI Domingo do Tempo Comum – Ano B

EVANGELHO – Mc 1, 40-45

Naquele tempo,

veio ter com Jesus um leproso.

Prostrou-se de joelhos e suplicou-Lhe:

«Se quiseres, podes curar-me».

Jesus, compadecido, estendeu a mão, tocou-lhe e disse:

«Quero: fica limpo».

No mesmo instante o deixou a lepra

e ele ficou limpo.

Advertindo-o severamente, despediu-o com esta ordem:

«Não digas nada a ninguém,

mas vai mostrar-te ao sacerdote

e oferece pela tua cura o que Moisés ordenou,

para lhes servir de testemunho».

Ele, porém, logo que partiu,

começou a apregoar e a divulgar o que acontecera,

e assim, Jesus já não podia entrar abertamente

em nenhuma cidade.

Ficava fora, em lugares desertos,

e vinham ter com Ele de toda a parte.

 

Para entendermos o Evangelho de hoje, devemos perceber bem qual era a situação dos leprosos em Israel no tempo de Jesus: estes, não só eram obrigados a viver fora das localidades, longe de todos, pelo perigo de contágio da sua doença, mas eram considerados como impuros, excluídos do amor do próprio Deus, que os castigaria por algo muito grave. Neste contexto, o leproso do Evangelho quebrou todas as regras, aproximando-se de Jesus! No entanto, ele confia que Jesus o pode curar. Melhor, ele acredita que Deus o pode limpar, de modo que possa sentir-se novamente integrado na comunidade! E a ti, que te parece, achas que Deus pode excluir alguém do seu amor? Que Ele será capaz de discriminar alguém, seja por que motivo for? Se acreditas que Deus ama a todos, porque a todos considera como filhos muito amados, vai, tu também, e com Alegria… ama a todos!

 

A atitude de Jesus quebra todas as regras, deixando claro que as tradições de Israel nada tinham a ver com a vontade de Deus ou com o seu próprio modo de proceder. Jesus sente compaixão por este homem, ou seja, ama-o até às entranhas com a ternura de uma mãe, e por isso, estende-lhe a mão e toca-o, tornando-se, Ele próprio, aos olhos da Lei, impuro…, e cura-o! O Papa Francisco, ainda no último domingo, na Oração do Angelus, voltou a frisar as três características de Deus: Proximidade, Ternura e Compaixão. Serás capaz de agir com os mesmos sentimentos de Deus, fazendo-te próximo de todos, amando com ternura e verdadeira compaixão por quem mais precisa? Então, com Alegria… ama a todos!

Apesar da admoestação de Jesus, aquele homem, feliz pela sua nova condição, sentindo dentro de si todo o amor que Deus demonstrou por ele, começa a dizer a todos o que Jesus fez por Ele. E tu, tens coragem para manifestar aos outros a presença de Jesus na tua vida? Se fazes verdadeiramente a experiência do seu amor, então, com Alegria… ama a todos, mostrando, pelas tuas atitudes, que Deus não discrimina ninguém!

bottom of page