Levanta-te e… usa de ternura!

V Domingo da Quaresma – Ano C

EVANGELHO – Jo 8, 1-11

Naquele tempo,

Jesus foi para o Monte das Oliveiras.

Mas de manhã cedo, apareceu outra vez no templo,

e todo o povo se aproximou d’Ele.

Então sentou-Se e começou a ensinar.

Os escribas e os fariseus apresentaram a Jesus

uma mulher surpreendida em adultério,

colocaram-na no meio dos presentes e disseram a Jesus:

«Mestre, esta mulher foi surpreendida em flagrante adultério.

Na Lei, Moisés mandou-nos apedrejar tais mulheres.

Tu que dizes?».

Falavam assim para Lhe armarem uma cilada

e terem pretexto para O acusar.

Mas Jesus inclinou-Se

e começou a escrever com o dedo no chão.

Como persistiam em interrogá-l’O,

ergueu-Se e disse-lhes:

«Quem de entre vós estiver sem pecado

atire a primeira pedra».

Inclinou-Se novamente e continuou a escrever no chão.

Eles, porém, quando ouviram tais palavras,

foram saindo um após outro, a começar pelos mais velhos,

e ficou só Jesus e a mulher, que estava no meio.

Jesus ergueu-Se e disse-lhe:

«Mulher, onde estão eles? Ninguém te condenou?».

Ela respondeu:

«Ninguém, Senhor».

Disse então Jesus:

«Nem Eu te condeno.

Vai e não tornes a pecar».

 

O Evangelho deste domingo começa por uma pequena anotação, que nos pode parecer secundária, de que Jesus foi para o Monte das Oliveiras. Mas será mesmo secundária? É no silêncio da noite que, tantas vezes, Jesus Se encontra com o Pai… As palavras e a vida de Jesus são reveladoras desta sua união com Deus, o Pai da Misericórdia!

Guiado por esse Amor, Jesus não foge das pessoas, mesmo daquelas que O ameaçam. Ensina com sabedoria a multidão e, quando confrontado com as ciladas que Lhe preparam, responde com serenidade e ternura. Ele, o Único que poderia condenar aquela mulher, rejeita fazê-lo e usa de ternura e compaixão para com ela.

Com a sabedoria de Jesus, aprende que és tão frágil quanto os teus irmãos e, por isso, não os condenes; simplesmente, levanta-te e… usa de ternura para com todos, pois só o Amor transforma e traz Vida Nova!