Domingo XXXIII do Tempo Comum – Ano B

EVANGELHO - Mc 13,24-32

Naquele tempo,

disse Jesus aos seus discípulos:

«Naqueles dias, depois de uma grande aflição,

o sol escurecerá e a lua não dará a sua claridade;

as estrelas cairão do céu

e as forças que há nos céus serão abaladas.

Então, hão-de ver o Filho do homem vir sobre as nuvens,

com grande poder e glória.

Ele mandará os Anjos,

para reunir os seus eleitos dos quatro pontos cardeais,

da extremidade da terra à extremidade do céu.

Aprendei a parábola da figueira:

quando os seus ramos ficam tenros e brotam as folhas,

sabeis que o Verão está próximo.

Assim também, quando virdes acontecer estas coisas,

sabei que o Filho do homem está perto, está mesmo à porta.

Em verdade vos digo:

Não passará esta geração sem que tudo isto aconteça.

Passará o céu e a terra,

mas as minhas palavras não passarão.

Quanto a esse dia e a essa hora, ninguém os conhece:

nem os Anjos do Céu, nem o Filho;

só o Pai».

 

Levanta-te e… espera! As palavras de Jesus, no Evangelho deste Domingo, não são para nos assustar com a proximidade do fim dos tempos, mas um convite a vivermos sempre na Esperança!

Esperança porque o mundo velho, marcado pelo egoísmo e a maldade dos homens, sairá derrotado. Assim, no meio das dificuldades, angústias e injustiças, aprende a confiar em Jesus que nunca nos abandona: Ele vai contigo na tua barca!

Depois, Esperança, porque um mundo novo surgirá com o regresso definitivo de Jesus! Mas até lá, compreende que deves tomar parte com Jesus na luta contra o mal. Assim, a espera deve ser ativa, pondo em prática as palavras de Jesus, ao Seu estilo, partilhando a tua vida com os outros e comparticipando das suas dores e sofrimentos. Não há esperança onde não se trabalha por alcançar aquilo que se espera!