top of page

Com Alegria… perdoa o teu irmão!

Domingo XXIV do Tempo Comum – Ano A

EVANGELHO - Mt 18,21-35

Naquele tempo,

Pedro aproximou-se de Jesus e perguntou-Lhe:

«Se meu irmão me ofender,

quantas vezes deverei perdoar-lhe?

Até sete vezes?»

Jesus respondeu:

«Não te digo até sete vezes, mas até setenta vezes sete.

Na verdade, o reino de Deus pode comparar-se a um rei

que quis ajustar contas com os seus servos.

Logo de começo,

apresentaram-lhe um homem que devia dez mil talentos.

Não tendo com que pagar,

o senhor mandou que fosse vendido,

com a mulher, os filhos e tudo quanto possuía,

para assim pagar a dívida.

Então o servo prostrou-se a seus pés, dizendo:

'Senhor, concede-me um prazo e tudo te pagarei'.

Cheio de compaixão, o senhor daquele servo

deu-lhe a liberdade e perdoou-lhe a dívida.

Ao sair, o servo encontrou um dos seus companheiros

que lhe devia cem denários.

Segurando-o, começou a apertar-lhe o pescoço, dizendo:

'Paga o que me deves'.

Então o companheiro caiu a seus pés e suplicou-lhe, dizendo:

'Concede-me um prazo e pagar-te-ei'.

Ele, porém, não consentiu e mandou-o prender,

até que pagasse tudo quanto devia.

Testemunhas desta cena,

os seus companheiros ficaram muito tristes

e foram contar ao senhor tudo o que havia sucedido.

Então, o senhor mandou-o chamar e disse:

'Servo mau, perdoei-te, porque me pediste.

Não devias, também tu, compadecer-te do teu companheiro,

como eu tive compaixão de ti?'

E o senhor, indignado, entregou-o aos verdugos,

até que pagasse tudo o que lhe devia.

Assim procederá convosco meu Pai celeste,

se cada um de vós não perdoar a seu irmão

de todo o coração».

Depois de, no último domingo, Jesus nos ter convidado a ir à procura do nosso irmão que nos ofendeu, em vez de ficarmos à espera de que ele nos viesse pedir desculpa, para assim “ganharmos” o nosso irmão, hoje Ele dá ainda mais um passo em frente: perante a pergunta algo irónica de Pedro, em nome de todo o grupo, se devemos perdoar sempre – até sete vezes? (número perfeito que indica a totalidade), Jesus desafia-nos a um perdão ilimitado: setenta vezes sete! Então, já sabes, se queres ser discípulo de Jesus, vai, com alegria e perdoa (sempre) o teu irmão!

A parábola que Jesus nos conta, ilustra bem a diferença entre a atitude de Deus que está sempre pronto a perdoar, independentemente do valor da “dívida”, e a nossa atitude mesquinha e vingativa de um coração demasiado estreito. Se fazes a experiência do Amor e da Misericórdia de Deus, então, não hesites também tu em oferecer o teu perdão aos irmãos: Com alegria, perdoa o teu irmão! Assim, fazes jus à oração que rezas todos os dias: “Pai-nosso, que estais nos céus… perdoai-nos as nossas ofensas, assim como nós perdoamos a quem nos tem ofendido”.

Perdoar não é permitir que nos façam tudo e mais alguma coisa, sem sequer abrirmos a boca. Lembra-te do Evangelho do último domingo onde Jesus nos pedia essa correção fraterna para com aqueles irmãos que nos magoam… Deus também nos corrige para podermos encontrar um caminho mais feliz para nós e para os que nos rodeiam. Mas é preciso ter a coragem de não confundir o pecado com o pecador, compreender a fragilidade do outro e libertar-se da mágoa que pesa e nos tira a paz, quando não provoca desejos de vingança e de fazer justiça, dando ao outro o mesmo que ele deu a nós! Estás disposto a aceitar o desafio de Jesus, para seres mais parecido com o nosso Pai dos céus? Então…, com alegria, perdoa o teu irmão de todo o coração, e sentirás a Paz e a Consolação dentro do teu peito!

bottom of page