top of page

Com alegria… reconhece Jesus!

Domingo XIII do Tempo Comum – Ano B

EVANGELHO – Mc 6, 1-6

Naquele tempo,

Jesus dirigiu-Se à sua terra

e os discípulos acompanharam-n’O.

Quando chegou o sábado, começou a ensinar na sinagoga.

Os numerosos ouvintes estavam admirados e diziam:

«De onde Lhe vem tudo isto?

Que sabedoria é esta que Lhe foi dada

e os prodigiosos milagres feitos por suas mãos?

Não é ele o carpinteiro, Filho de Maria,

e irmão de Tiago, de José, de Judas e de Simão?

E não estão as suas irmãs aqui entre nós?»

E ficavam perplexos a seu respeito.

Jesus disse-lhes:

«Um profeta só é desprezado na sua terra,

entre os seus parentes e em sua casa».

E não podia ali fazer qualquer milagre;

apenas curou alguns doentes, impondo-lhes as mãos.

Estava admirado com a falta de fé daquela gente.

E percorria as aldeias dos arredores, ensinando.

Esta semana somos confrontados com uma visita de Jesus à sua terra, Nazaré. Como é que O receberam? Eles que O julgavam conhecer tão bem, pois tinham-n’O visto crescer, brincado com Ele, ido à sinagoga com Ele, conheciam bem a sua família, a sua profissão…, ficaram perplexos devido à sua sabedoria e aos seus gestos, e trataram-n’O com desprezo. Daquilo que conheciam de Jesus, Ele não podia ser o Messias esperado e, muito menos, filho de Deus! Ora, Jesus de Nazaré, o carpinteiro, filho de Maria, que nasceu e viveu pobre, que nunca se serviu do seu poder para si próprio ou para dominar os outros, é realmente o filho de Deus que veio ao nosso encontro para nos salvar. Assim, com alegria… reconhece Jesus, e deixa-te guiar por Ele!

Se Jesus assim quis viver, sendo o nosso Senhor e Mestre, então que sentido faz desejarmos uma Igreja forte, poderosa, dominadora, implacável com os frágeis e os pecadores? A Igreja, que somos todos nós, os discípulos de Jesus, deve ser imagem do seu Mestre! Por isso, com alegria, reconhece (o verdadeiro) Jesus e procura ir ao encontro dos teus irmãos com a mesma ternura e compaixão do Mestre, sabendo acolher a todos!

Deus age no mundo, não através de coisas grandes e reveladoras do seu poder e da sua força, mas de instrumentos frágeis que Ele chama e envia. Unidos a Jesus, também somos chamados a ser profetas neste nosso mundo! E a missão do Profeta é simplesmente a de anunciar a todos, com as palavras e com a vida ao estilo de Jesus, o seu amor misericordioso e compassivo para com todos, mostrando desta maneira que Deus Se faz próximo dos homens! Estás consciente da tua missão de profeta no mundo? Como vives essa missão? Com alegria… reconhece Jesus, presente também nos teus irmãos mais frágeis, com quem Ele sempre Se identificou, e – ao contrário dos habitantes de Nazaré, acolhe-O com ternura e amor!

bottom of page