Abraça e… sê humilde!

Domingo XXX do Tempo Comum – Ano C

EVANGELHO - Lc 18, 9-14

 

Naquele tempo,

Jesus disse a seguinte parábola

para alguns que se consideravam justos e desprezavam os outros:

«Dois homens subiram ao templo para orar;

um era fariseu e o outro publicano.

O fariseu, de pé, orava assim:

'Meu Deus, dou-Vos graças

por não ser como os outros homens,

que são ladrões, injustos e adúlteros,

nem como este publicano.

Jejuo duas vezes por semana

e pago o dízimo de todos os meus rendimentos'.

O publicano ficou a distância

e nem sequer se atrevia a erguer os olhos ao Céu;

Mas batia no peito e dizia:

'Meu Deus, tende compaixão de mim,

que sou pecador'.

Eu vos digo que este desceu justificado para sua casa

e o outro não.

Porque todo aquele que se exalta será humilhado

e quem se humilha será exaltado».

 

No caminho que Jesus faz para Jerusalém com os seus discípulos, conta mais uma parábola, desta vez para os que se julgam justos e desprezam os outros. Mas se leres com atenção, a parábola fala-nos sobretudo de Deus e da forma como nos devemos relacionar com Ele!

Deus justifica, isto é, acolhe e perdoa aquele que é humilde e reconhece, não só as suas fragilidades, mas também que tudo aquilo que tem e é capaz de fazer o deve a Deus! Quem se acha o maior acaba por não contar com Deus – não precisa! – e, pior ainda, julgar-se superior aos outros, desprezando quem não é como ele!

E tu, como te relacionas com Deus? Com a humildade de filho que confia no Pai e se deixa guiar ou com o orgulho de quem tem as mãos limpas? Vês a salvação como um dom ou julgas que é um prémio a receber pelos teus méritos?

Abraça com confiança a Deus! Se reparares estás bem ao centro do Seu coração: D(EU)S! Abraça e… sê humilde para reconheceres as tuas fragilidades, mas também as tuas muitas qualidades que deves colocar ao serviço dos outros segundo o coração de Deus!